EXERCÍCIOS NA GESTAÇÃO 

 

Nas gestações não complicadas a prática de exercícios físicos é recomendada, porém deve ser adequada ao período gestacional.

Orientação postural para as atividades diárias, alongamentos e fortalecimento para a pelve e músculos da coluna devem fazer parte de um bom acompanhamento pré-natal.

Os alongamentos devem respeitar os limites de amplitude do movimento.

Para diminuir os episódios de câimbras, a grávida deve realizar atividade física leve ou moderada com frequência e com alongamentos das panturrilhas.

A drenagem linfática e exercícios circulatórios auxiliam a gestante a sentir-se bem e reduz os inchaços, mas não se deve drenar a região do tronco e abdômen. A drenagem modeladora é contraindicada.

A hidroginástica também contribui bastante para melhora do edema.

Por vezes haverá necessidade do uso das meias elásticas.

Para dormir, a gestante deve permanecer de lado, de preferência o esquerdo com travesseiro apoiando a cabeça, o braço, o abdômen e entre as pernas.

A neuroestimulação elétrica transcutânea, método não invasivo para aliviar dores agudas e crônicas, não deve ser utilizada no primeiro trimestre e nunca sobre a região abdominal.

O ultrassom fisioterápico e o laser não devem ser utilizados próximo ao útero gravido. A aplicação de calor profundido por meio de ondas curtas não deverá ser realizado.

Devido à frouxidão dos ligamentos, deve-se evitar as técnicas de osteopatia e quiropraxia.

A RPG pode ser feita na gestação por contribuir muito com a redução da dor lombar.

A musculação pode continuar a ser realizada, desde que o treinamento seja individualizado e com cargas baixas.

 

DEVE-SE SUBSTITUIR OS EXERCÍCIOS DE IMPACTO E QUE OFEREÇAM RISCO

E QUEDA PARA EVITAR LESÕES ARTICULARES.

MANTER INTENSIDADE LEVE A MODERADA NOS EXERCÍCIOS,

SEM ULTRAPASSAR DE FREQUÊNCIA CARDÍACA DE 140 BPM.